Pular para o conteúdo principal

Postagens

memórias da música negra em mariana . episódio 2 . vitor gomes

  já está no ar o segundo capítulo da nossa web série "Memorias da música negra em Mariana: raízes negras da musicalidade sacra e litúrgica, memórias transmitidas pela oralidade e pela escritura musical em Mariana" seguindo nosso cortejo, fomos visitar o músico vitor gomes no museu da música de Mariana, no centro histórico da cidade mineira (MG/Brasil), no mês de setembro de 2021. neste dia de visita, estivemos @valentimpercussao e @mo.maie ouvindo as estórias do vitor @musivitor e admirando o acervo do @museu_da_musica_de_mariana a edição do segundo episódio foi feita pela nossa também coordenadora de produção executiva e fotógrafa, Pollyanna Assis @photo.femina . entre lundus e kalundus - onde esteve, onde está, onde estará a música negra em mariana? é a provocação inicial deste projeto, que nos move a buscar respostas, enquanto arte educadores, musicistas, artivistas, cidadãos, buscar nos aprofundar nas estórias da música, origens, raízes, antigos códigos genéti
Postagens recentes

Vivência de confecção de agbes em Salvador

Maracatu Ventos de Ouro e Djalo Musica Nomad promovem vivência de confecção de agbe em outubro de 2021, em Salvador (BA) Você estará pela Bahia no fim de outubro e sempre sonhou em aprender a fazer seu próprio agbe? Venha participar conosco da Vivência de Confecção de Agbes, realizada pelo Maracatu Ventos de Ouro e a plataforma Djalo Musica Nomad. A vivência acontecerá respeitando as normas de vigilância sanitária pela contenção da pandemia e por isso terá vagas limitadas! Acontecerá de 28 a 31 de outubro de 2021 e você pode fazer sua inscrição pelo site  www.maracatuventosdeouro.com Sobre a oficina “Djalo . Confecção de Xekeres”: A oficina “Djalo . Confecção de Xekeres” é facilitada pela artista plástica, musicista, pesquisadora e artesã de instrumentos musicais Mo Maie @mo.maie Propõe iniciar os participantes no ritual de confecção do instrumento passo a passo, conhecendo suas estórias, técnicas de trançados, geometrias sagradas, cuidados com a cabaça e introdução a ritmos ancestrais

mo maie e sobobade band lançam "bambala bambala", uma viagem entre o brasil e a áfrika do oeste

Bambala Bambala - fusões transatlânticas Link para escutar o full album no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=GjLywffaRv0&t=608s Link para o Spotify: https://open.spotify.com/album/2H9Ceo31x8EFCfFQUgnHWQ O álbum Bambala Bambala nasce do encontro entre a musicista e compositora marianense Mo Maie e o grupo senegalês Sobobade Band, formado por mestres tradicionalistas e músicos do Oeste Africano. Inovador e pluridiverso, ancestral e futurista, Bambala Bambala foi criado a partir de vivências e diálogos sonoros, pautados em trocas criativas e experimentações, fusionando linguagens e ritmos tradicionais do oeste africano (farafina) com a música popular brasileira e a world music, entre 2018 e 2021, no Senegal, Mali e Brasil. Bambala Bambala é o primeiro disco de Mo Maie, artista natural de Mariana (Minas Gerais), radicada na Bahia. “Este trabalho representa um grande desafio e também um marco em minha trajetória não apenas enquanto musicista, compositora e produtora, mas na tot

ciranda kindezi: refletindo sobre a arte kongo de cuidar das crianças na pós pandemia

Ciranda Kindezi  Convidamos você para o primeiro ciclo de uma roda de estudos sobre KINDEZI, a arte kongo de cuidar de crianças, buscando compreender como os ensinamentos ancestrais que nos trazem Mestre Bunseki Kia Fukiau e Mestra Lukondo Wamba podem nos trazer novas compreensões nesta experiencia de vida e de educação nos tempos pós pandêmicos, pensando nas realidades do ensino público brasileiro. Serão 4 sessões.ciclos via zoom, tendo início com o ciclo Mussoni, dia 31/08/2021 . às 19:00 h Os encontros serão mediados por diferentes arte educadoras ao longo do programa. Neste primeiro ciclo as mediadoras serão  Solange Simões (arte educadora, pesquisadora, artista e idealizadora do projeto Mundo Novo) e Mo Maie (arte educadora e tradutora do Livro Kindezi para o brasileiro português, em 2017). Para participar, basta solicitar a senha através de msg Inbox para perfis @djalo.nomad ou @projeto_mundonovo (Instagram) Kindezi movimenta toda a comunidade bakongo, que considera a criança com

catálogo >> coleção djalo >> E-BOOK ÁRVORES. memórias e reflorestamentos

      ÁRVORES. memórias e reflorestamentos  C A T Á L O G O >> coleção djalo >> E-BOOK Á R V O R E S . memórias e reflorestamentos é uma série-memorial em formato digital < e-book > que evidencia riqueza e diversidade cultural afro-brasileira e afrikana, publicada em março de 2021, com o apoio financeiro da Lei Aldir Blanc Bahia, através do Prêmio das Artes Jorge Portugal, categoria Literatura. Organizado pela musicista e arte educadora Mo Maie , a construção de ÁRVORES baseia-se na ideia do reflorestamento cultural, a partir da escuta sensível de estórias de vidas afro-ameríndias como caminho para combater estruturas sociais racistas, sexistas, genocidas e ecocidas. Tecido por mãos de mulheres, a série ÁRVORES conta com dois livros geminados intitulados de “Tempo, O Livro das Árvores” e “Transatlântika, O Livro de Areia”. A coordenação e realização do primoroso trabalho editorial do e-book ÁRVORES foi realizado pela Andarilha Edições , iniciativa artística situada em

bambala bambala, inovação e pluridiversidade entre os lançamentos musicais de 2021

  O álbum Bambala Bambala nasce do encontro entre a musicista e compositora brasileira Mo Maie e o grupo senegalês Sobobade Band, formado por mestres tradicionalistas e músicos do Oeste Africano. Inovador e pluridiverso, o álbum Bambala Bambala foi criado a partir de vivências e diálogos sonoros pautados em trocas criativas e experimentações, fusionando linguagens e ritmos tradicionais com a música contemporânea, entre 2018 e 2021, no Senegal, Mali e Brasil. À parte de Ndawrabine, tema tradicional do povo lebou, as demais composições do álbum são originais e inéditas, de autoria de Mousseke Le Polivalent (Senegal) e Mo Maie, tecidas a partir de diferentes matrizes e influências musicais, tendo por fio condutor a poesia que brota do cotidiano.  Os temas são cantados em Wolof, Brasileiro e Francês, transmitindo aos ouvintes atmosferas de World Music, entre paisagens e texturas sonoras que conectam a Música Brasileira, o Reggae, o Desert Blues, o Afro Jazz e o Chorinho, nos relembrando

Coletivo Minas da Voz realiza a “II MOSTRA DE MULHERES COMPOSITORAS MINAS DA VOZ”

Lara Xaral, uma das revelações da II Mostra Minas da Voz . Foto: Naty Torres Com recursos da lei Aldir Blanc, o festival promove a música autoral de mulheres da América Latina. A II Mostra de Mulheres Compositoras Minas da Voz será realizada entre os dias 24 e 27 de junho no  Youtube e Instagram (@minas.da.voz) e conta com 12 shows musicais, lives e  rodas de conversas. Adaptando-se ao formato virtual, a segunda edição da mostra, realizada e produzida pelo Coletivo Minas da Voz, apresentará ao público o trabalho de compositoras e intérpretes com diversos gêneros musicais, contextos socio-econômicos e narrativas artísticas.  No Line Up, as rainhas Manu Dias, Érika Curtiss, Isabela Dilly, Dedo de Dama Trio, Maju, Xaral, Trinca de Damas, Luzmilla Luz, Dj Osupa, Julia Carvalho, Andrea Bazan e convidadas. O objetivo principal do evento é potencializar o corpo da mulher como fazedora das artes através da criação de espaços de troca, confidência e cantos coletivos desconstruindo a estrutura